Energia Solar cresce no Brasil e deve ganhar seu primeiro Gigawatt em 2017

O ano de 2017 promete ser movimentado para um mercado que, apesar de crescimento tímido no país, tem se destacado pelo potencial e competitividade. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar), uma série de movimentações devem acontecer no setor de energia solar no Brasil, possibilitando, assim, que o país alcance neste ano a marca de 1 gigawatt em capacidade instalada em usinas fotovoltaicas.

No entanto, o sucesso poderia ser ainda maior, uma vez que leilões de energia solar realizados pelo país desde 2014 previam quase 2 gigawatts em operação até agosto de 2017. Além disso, os investidores do setor ainda digerem o cancelamento, nos últimos dias de 2016, do leilão que contrataria novas usinas eólicas e solares. O governo disse que a decisão foi motivada pela queda da demanda por eletricidade causada pela crise econômica.

“Vem aí um desafio grande que a gente ainda tem no setor, porque apesar desse começo positivo, tivemos um tropeço importante com o cancelamento do leilão em 2016, foi um golpe duro, porque o setor tem que ter previsibilidade da demanda”, disse Sauaia.

Segundo a Absolar, espera-se que ainda este ano os parques solares contratados no leilão realizado em agosto de 2015 sejam entregues, as usinas devem começar a operar em agosto. Para Sauaia, a situação desses empreendimentos é mais tranquila. Por este motivo e com todas as movimentações no setor, um número importante dos projetos que devem trocar de mãos. Inclusive, alguns grupos internacionais já estão sondando tais projetos.

Apesar do sol abundante, o Brasil possui hoje apenas 0,02 por cento de geração fotovoltaica em sua matriz elétrica, número que chegaria a 2% cento se estivessem prontas todas usinas já contratadas nas licitações. No entanto, o cenário ainda é promissor, além do crescimento por meio das grandes usinas, a Absolar destaca o potencial do Brasil na Geração Distribuída, com a instalação de sistemas solares em residências. Em 2016, tal modalidade teve crescimento de mais de 300%.

Além de promover os leilões para contratar usinas solares, o Brasil também está estimulando a construção de fábricas de equipamentos no país. A iniciativa de criar linhas especificas de financiamento vem atraindo investidores e fabricantes de equipamentos gerais para a cadeia de energia solar fotovoltaica. Dessa forma, o setor cresce de forma mais sustentável, e consequentemente a tecnologia se torna mais acessível à população.

Fonte: Reuters Brasil

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *